Por que fazer psicoterapia?​ - Ana Paula Dias
Ana Paula Dias - Psicóloga | Butantã - São Paulo - SP
Psicóloga Butantã, Psicóloga Vila Sônia, Psicóloga Morumbi, Psicóloga Taboão da serra, Psicóloga Zona Oeste, Psicóloga Próxima ao metrô, terapia Butantã, Psicanálise Butantã, Psicoterapia Butantã, Psicoterapia Vila Sônia, Psicoterapia Zona Oeste, Psicanálise Zona Oeste.
44
post-template-default,single,single-post,postid-44,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,qode-page-loading-effect-enabled,, vertical_menu_transparency vertical_menu_transparency_on,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-13.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Por que fazer psicoterapia?​

Por que fazer psicoterapia?​

Por Ana Paula Dias da Silva – CRP 06/79873

Viver conflitos e dificuldades são processos inerentes à existência humana, o que significa que todos nos deparamos em algum momento da vida, com dificuldades, com sentimentos de tristeza, angústia, ansiedade, ou simplesmente com a necessidade de entender por que agimos de determinada forma em determinadas situações, ou nos deparamos com a necessidade de entender o motivo de algumas escolhas, que parecem repetições de histórias já vividas no passado, entre outros questionamentos e sentimentos que nos trazem certo grau de sofrimento emocional.

No entanto, sempre ouço de pacientes, que a demora em procurar um psicólogo, se deve ao fato de sempre terem escutado que “Psicólogo é coisa para louco”. Infelizmente a psicologia ainda encontra-se muito associada ao estigma da loucura, o que impede que muitas pessoas busquem atendimento. Porém, este é um conceito muito equivocado da área.

A proposta da psicoterapia é ajudar o paciente a falar sobre si mesmo, e a partir desta fala, entrar em contato com conteúdos que fogem à nossa compreensão, no entanto, que influenciam nossa forma de agir, pensar e sentir, e o papel do psicólogo é ajudar neste processo.

Porém, é importante destacar, que o psicólogo, tem aí um papel profissional, de acolhimento, mas também de atuar com uma escuta diferenciada, que vai além da escuta daquilo que de fato é dito, nosso papel enquanto profissional, é escutar o que está além, escutar o que está por trás de tudo aquilo que o paciente trás de forma consciente, como costumamos dizer, precisamos ouvir nas entrelinhas. Por esta razão, não cabe a este profissional um papel de amigo que aconselha, ele está ali para ajudá-lo a se compreender e a partir do autoconhecimento, ser capaz de fazer suas próprias escolhas. Além, é claro, de oferecer um espaço de acolhimento e livre de julgamentos.

Meu objetivo aqui, é esclarecer que não, psicólogo não é “coisa para louco”, como costuma ditar o senso comum. Pelo contrário, a Psicoterapia é um processo que pode trazer benefícios para todos, uma vez que, todos nós vivemos conflitos em nossa vida, e olhar para si mesmo, é algo que precisa ser valorizado, pois o autoconhecimento nos ajuda a lidar melhor com as dificuldades, além de nos ajudar a nos relacionar melhor com a gente mesmo e com o mundo à nossa volta e melhor investimento que esse não há.